| Última atualização em 01/04/2012 às 12:05

Sitezinho, sisteminha e problemão

1.224 views | Receba por e-mail | Comente
Por Adm. Paulo Carvalho

O seu cliente acha que você irá fazer um sitezinho ou um sisteminha? Cuidado para não ter no final um problemão na sua empresa.

Acho interessante tratar de um assunto que é tão discutido entre gestores e profissionais da área, pois ajudar no entendimento geral das melhores soluções para finalizações de problemas que muitas vezes transformam na própria falência da empresa. Não quero, nem pretendo ser exagerado, mas é importante compreender que questões como essas são de suma importância para a vida de uma empresa e devem ser analisadas sobre uma ótica estratégica para evitar problemas futuros para as empresas e seus clientes de uma forma geral.

Procurando sempre basear em experiências pessoais e de networks feito com profissionais da área, posso com isso citar vários casos perigosos envolvendo sites e sistemas que são mais complexos, mas que os clientes ,na sua maioria, encaram como problemas simples, por deficiência do atendimento, do setor que explicou o projeto ou pelo próprio cliente que já vêm com vícios de outras empresas e próprios. Esses casos são, na maioria das vezes, do nosso cotidiano, porém escondem perigosas ações ou muito mal estar para empresas e profissionais da área, são eles:

“Sitezinho” pra ontem: Um cliente fala que quer um sitezinho pra ontem, pois tem uma apresentação da empresa para fazer. O cliente, nestes casos, diz que só terá alguns poucos links, algumas páginas e uma newsletter. Informa rapidamente que trata-se de um site que dá pra ser feito rápido e acredita que o site será extremamente barato. Cuidado com este tipo de situação, esteja ciente de tudo que o cliente deseja antes de informar o valor e o tempo para entrega do projeto, não seja exagerado em fechar com urgência o contrato e esquecendo de como irá condicionar todo o projeto a sua equipe ou ao seu tempo de desenvolvimento. Se viu tudo isso é importante colocar em sua agenda esse projeto e verificar todos os detalhes envolvidos, depois elabore um documento , briefing com o cliente, certifique antes de fechar o projeto de tudo que foi conversado está coerente com o valor e prazo que será dado. Lembre-se que você não é responsável em entregar nas pressas por causa de um evento que o cliente marcou antes de conversar com você sobre o prazo, porém se você confirmou com ele o prazo terá que cumprir, pois ele está esperando isso para o sucesso de seu evento.

Vejo muitos problemas ocorrerem por causo da expectativa sua e do cliente, seja claro, quando fazer um contrato mesmo que informou, certifique que o que irá desenvolver seja exatamente o que o cliente quer, pois e comum por questão de preço você fechar um projeto simples e o cliente está imaginando, possuindo a expectativa, de um projeto dinâmico. Graças a um bom briefing esse caso nunca aconteceu comigo, mas tenho vários casos de amigos que possuem empresas que me descreveram esse ponto como um dos mais cruciais que passaram, então segue uma dica para ter sucesso neste assunto.

Em sistemas é comum fazer documentos que irão lhe auxiliar neste assunto, pois o cliente deve visualizar e alinhar com você o que o sistema deve ter para não criar nenhuma expectativa ou desconforto no futuro, pois com documento em mãos, o cliente não poderá questionar que algo está faltando ou que pediu algo e não foi implementado, pois estará ciente de todas as funcionalidades antecipadamente.

Já saiu! Eu sei quem faz em uma hora esse site: “Isto é muito simples! Tenho certeza que você não gasta mais de 1 hora para me entregar esse projeto. Tenho certeza que vários irão ler e rir quando terminar esse paragrafo, pois é comum escutarmos esse tipo de comentário do cliente. É algo que deve ser bem trabalhado na conversa com o cliente, pois nem você pode ser deselegante com cliente nem deve desvalorizar o seu trabalho, nada é simples, você irá gastar tempo e tempo é dinheiro”. Nunca entre na conversa do cliente que é simples de ser feito e rápido de ser entregue, pois quem deve ter esse conhecimento é você que irá desenvolver e irá envolver capital humano de sua empresa para desenvolver o projeto, tenha sempre um valor em mente para estes casos. Minha sugestão é mencionar as horas que serão gastas na atividade e estipular um valor por elas compatível com o mercado, não dê a impressão ao cliente que tudo é simples demais, valorizar seu trabalho faz ele ser mais respeitável e muito mais confiável.

Pagamento só na entrega do projeto: Eita! Um dos casos que mais acontecem em nossa área e que muitos profissionais não sabem como resolver, é quando o cliente informar que só irá efetuar o pagamento na entrega do projeto. É importante ficar claro que a escravidão foi abolida em 1888 pela princesa Isabel, coisa que aprendemos quando ainda estamos na escola estudando para sermos profissionais, então necessário que você siga alguns passos para não voltar ao tempo e ser escravo de seu cliente. Isso é muito sério, pois conheço vários casos que você produz entrega e o cliente não efetua o pagamento como combinado, isso foi o que falei logo no começo, um dos principais indícios que influência na falência de empresas de médio e pequeno porte.

Lembrando que existem casos que você tendo a confiança plena no cliente e esteja bem documentado com contrato (cláusulas bem definidas com juros e multa caso o pagamento não seja efetuado), não existe problema em realizar, porém não é aconselhável, pelos seguintes motivos: Sempre irão existir pequenas modificações que o cliente pode avaliar como uma justificativa para não efetuar o pagamento. Frases do tipo: “só mais um detalhe e amanhã você pode vir aqui receber”, “Está muito bom, basta agora criarmos mais duas novas telas que estava pensando mais não tinha colocado no projeto”, “Estou esperando algumas receitas entrarem aqui na empresa e estarei lhe passando em seguida, aguarde!!!”, “Não sou caloteiro, então é bom não perturbar se não desisto de projeto”. Lembro de casos deste tipo em minha vida profissional e vários amigos que em conversa me noticiaram casos de desistência de projetos mesmo quando a equipe ou profissionais terem se esforçado e perdido muito tempo no desenvolvimento de site e aplicações para clientes. Nestes casos o que resguardaram foi a questão do contrato bem elaborado, mas será que você irá pensar nisso sempre? Então segue mais uma dica de extrema importância.

Lembre-se,  antes de fazer qualquer projeto, mesmo o cliente ache que se trata de um sitezinho ou sisteminha, ali terá analise, programação, designer, documentação e muitas outras coisas que irão contribuir para um projeto de sucesso, então valorizem sempre seu trabalho e seu tempo que com certeza terá um cliente satisfeito e ótimo projetos finalizados.

Enviar para um amigo Enviar para um amigo

Comentários

1 Comentário + COMENTAR

  • O que é interessante se notar no artigo, é que o texto foi além da proposta inicial. Muito mais do que explicar para os seus leitores as questões práticas do assunto, o diálogo estabelecido por você acabou levantando uma importante questão “social” profissional, que é a valorização desse tipo de serviço, muitas vezes marginalizado e prostituído por ofertas mais baratas e consequentemente, sem qualidade.

    Mais que um alerta para colegas profissionais, serve como um despertar para clientes. Além de levantar de maneira inteligente e eficaz um tema tão em voga, o texto traz uma linguagem diferenciada, estando bem escrito e estruturado.

    Parabéns.

Faça seu comentário

Comentário